Previdência Privada: O que é, como funciona. Tire todas suas dúvidas

Uma medida alternativa à previdência prevista pelo INSS é a previdência privada. Conheça as vantagens e como adquirir um plano.  A Previdência Privada vale a pena? Saiba tudo que sempre quis saber aqui.

A previdência privada é vista como uma forma de investimento que pode garantir uma estabilidade financeira durante a aposentadoria. Além disso, os planos possuem alguns benefícios fiscais e não possui vínculo com o Governo.

Entretanto, é necessário que se escolha uma boa seguradora antes de começar a investir em seu plano de previdência privada. Isso porque há o risco de se perder alguns benefícios caso opte por alguma seguradora ruim.

Por isso, é muito importante que se tenha um mínimo de conhecimento sobre o assunto. A seguir, você conhecerá alguns planos de previdência privada, e porque vale a tanto a pena esse tipo de investimento.

O Que é previdência privada

A previdência privada é uma forma de investimento, em que se tem por objetivo obter uma renda para a aposentadoria. Também é utilizada para alcançar metas de longo prazo.

As previdências privadas não são necessariamente oferecidas por bancos ou corretoras. Elas podem ser fechadas, quando adquiridas por empresas em benefício aos empregados. Ou ainda abertas, quando proposta por bancos.

Plano de previdência privada

Existem ainda dois tipos de previdência privada, a PGBL e a VGBL. A primeira, permite o abatimento anual no imposto de renda. Enquanto a segunda é indicada autônomos, pois não permite abatimento. Saiba mais a seguir.

PGBL – Plano Gerador de Benefício Livre

O Plano Gerador de Benefício Livre permite o abatimento anual no imposto de renda até o limite de 12% da renda bruta. Logo, esse plano é indicado para quem efetua a declaração completa do IR.

Entretanto, essa diferença não indica que os aportes realizados na previdência privada sejam isentos de tributação. Quando ocorrer o resgate dos valores, haverá a normal incidência do imposto de renda sobre o valor.

Importante destacar que para que se faça a dedução dos 12% anuais, o indivíduo deve estar contribuindo com o INSS. Ou seja, ainda que você opte pela previdência privada, não há como se esquivar da previdência comum.

VGBL – Vida Gerador de Benefício Livre

Quanto à Vida Gerador de Benefício Livre, não há previsão de abatimento do imposto de renda. Sendo assim, indica-se esse tipo de previdência privada aquele indivíduo que seja isento da declaração do IR.

Quem já investe em PGBL também pode investir em VGBL. Assim poderá destinar mais de 12% de sua renda bruta à previdência privada. A diferença é que no resgate, só será tributado sobre os rendimentos.

previdência privada

Como funciona a previdência privada

A previdência privada é oferecida inicialmente por seguradoras ou ainda bancos tradicionais no mercado. Ao realizar a contratação você determina quantos anos pretende ter de estabilidade e a renda que pretende ao ano.

Em posse desses dados, são feitas simulações e elaborados os planos de previdência de acordo com a sua necessidade. Para chegar no valor desejado, utilizam-se alguns índices como:

  • Expectativa de vida do brasileiro com base em pesquisas feita pelo IBGE
  • Tábuas atuariais, que refletem o estudo de sobrevivência de cada população, relacionada com as profissões.
  • Além de aplicarem também taxas de juros para um período entre 10 e 30 anos.

Ao reunir todos esses dados, o investidor consegue se planejar e ajustar o quanto precisará poupar para garantir sua aposentadoria. Quem não tem o costume de economizar, existe a opção de débito automático pelo banco.

Qual o rendimento da previdência privada

O rendimento da previdência privada por si só já é superior ao da poupança. Segundo especialistas, pode chegar a 7,5% ao ano. E pode alavancar caso acumule em investimentos em renda fixa como tesouro direto.

A caráter de exemplo, supondo que um indivíduo de 20 anos comece a investir 100 reais por mês. Quando chegar aos 60 anos, terá um capital acumulado de mais de 280 mil reais.

Aumentando o investimento para apenas 300 reais e considerando o mesmo período, os valores triplicam. Logo, será uma renda de aproximadamente 840 mil reais.

Comparando com a poupança que foi citada anteriormente, o rendimento anual é de aproximadamente 6%. Isso em sua máxima, visto que existem variações ano a ano.

Previdência privada vale a pena?

previdência privada vale a pena

Adquirir uma previdência privada tem seus prós e seus contras. Entretanto, especialista indicam que se invista em uma, posto que o rendimento da comum é baixo. A seguir, veja as vantagens:

  • A previdência privada possui uma tributação flexível, podendo ser progressiva ou regressiva.
  • No caso da PGBL, há a possibilidade de deduzir até 12% do imposto de renda
  • Caso você não saiba economizar, pode programar débitos automáticos em sua conta
  • Não é passível de inventário, ou seja, se o titular da previdência privada vier a óbito, não fará parte do seu espólio. Além disso, a renda vai direto aos beneficiários do contrato.
  • Ao final do prazo, você pode ir sacando o seu dinheiro ou ainda comprar uma renda

Além de tudo, ainda é mais rentável que a poupança e ainda garante uma aposentadoria mais estável que a proporcionada pelo INSS. Todavia, a previdência privada tem lá suas desvantagens:

  • Os bancos e seguradores geralmente cobram altas taxas para manutenção da previdência privada. O que pode comprometer boa parte dos rendimentos.
  • Ao final do prazo, e quando do resgate, a tributação pode chegar a até 35%. Por isso, fique atento ao percentual quando fizer a contratação, pois é lá que o tributo é estipulado.
  • No caso da instituição que administra o fundo quebrar, não há garantias de retorno.

Com declarar previdência privada no imposto de renda 2018

A importância de declarar sua previdência privada no IR é porque lhe garantirá algum incentivo fiscal. Ou seja, o Governo lhe dá uma espécie de bônus só pelo fato de você estar poupando seu dinheiro.

Para quem possui PGBL, e realiza a declaração do imposto de renda de forma completa, poderá deduzir até 12% da renda bruta anual. Vamos supor que um indivíduo tem uma renda anual de 100 mil reais.

Caso ele invista na poupança, o valor base para o cálculo do imposto de renda será sobre 100 mil reais. Já o indivíduo que investe em PGBL terá o imposto calculado sobre 88 mil reais.

Já no caso do VGBL, é necessário informar o valor dos depósitos realizados a cargo da previdência privada. Ou seja, supondo que você faça depósitos mensais de 500 reais, ao final de 1 anos terá depositado 6 mil reais.

Então você acumula um valor total de 7 mil reais em sua conta da previdência privada. O valor que deverá ser declarado são apenas os 6 mil relativos aos saques.

Infelizmente, no caso do VGBL, não existe uma dedução de 12% ao ano. Digamos então que você ganha 60 mil ao ano, e destinou 6 mil à previdência privada. Logo recolherá impostos sobre os 60 mil reais.

Qual a melhor previdência privada do mercado

O intuito da previdência privada é fazer com que o indivíduo se afaste cada vez mais da aposentadoria pelo INSS. Pensando nisso, a Proteste elencou os melhores planos do mercado.

Para isso, utilizou 4 filtros, separando grupos de investidores em conservadores, moderados, agressivos e com data para se aposentar. Ao final da pesquisa, foram elencados os 9 melhores.

Conservadores

  • Mongeral Aegon: o plano tem uma aplicação inicial mínima de 100 reais com uma taxa de administração de 1,75%.
  • Icatu: esta possui 2 planos, o primeiro permite um aporte único de 15 mil reais ou depósitos mensais de 700 reais. A taxa de administração é de 2%.

O outro plano permite um aporte único de 20 mil reais, ou então depósitos mensais de 800 reais. Nesse caso a taxa de administração cai para 1%.

Moderados

Para os moderados, melhor e único foi pela Icatu, que permite um aporte único de 20 mil reais ou depósitos de 400 reais. Entretanto, a taxa de administração de 1,75%.

  • Agressivos
  • Safra: pode-se fazer um único aporte de 50 mil reais ou depósitos mensais de 150 reais. A taxa de administração é de 1,5%.
  • Bradesco: permite um investimento único de 10 mil reais ou contribuições de 100 reais ao mês. A taxa de administração também é de 1,5%.
  • Data prevista para aposentar
  • Icatu: pode ser feito um único investimento de 1000 reais, ou depósitos de 100 reais. A taxa de administração é de 1,75%.
  • BrasilPrev: neste caso foram elencados dois planos, onde ambos permitem os mesmos 50 mil de investimento único, ou depósitos mensais de 60 a 100 reais. A taxa nesse caso é de 2% para ambos.

O que vai mudar é no caso do ciclo, um dos planos vai até 2030 e o outro vai até 2040. Logo, os ciclos podem gerar rentabilidades diferentes.

Como fazer o resgate

Ao final do prazo da previdência privada, para muitos surge dúvida de como realizar o resgate dos valores. Para isso você contará com 2 formas diferentes de saque:

  • A primeira é a opção de sacar o valor total. Ao optar por essa modalidade, o imposto de renda é descontado automaticamente.
  • Uma outra opção é a possibilidade de planejar um recebimento mensal. Logo, você saberá por quantos anos ou meses terá o benefício à sua disposição.

Gostou do artigo?

Compartilhe com seus amigos e colegas, deixe seu comentário.




Leave a Reply