O que é (IRF-M) Índice do Mercado de Renda Fixa

O IRF-M, ou Índice de Renda Fixa do Mercado, é o indicador mais lembrado quando se trata de renda fixa. Leia o artigo a seguir e entenda mais sobre o assunto!

Quando se fala em investimentos de renda fixa, é preciso entender o IRF-M e como ele afeta esse rendimento. Além disso, esse índice serve de parâmetro para todo o mercado de títulos de renda fixa.

Para quem busca investir em aplicações de renda fixa, é necessário entender os índices praticados neste tipo de segmento. Assim, as garantias de um investimento bem feito se tornam mais palpáveis.

O que é o IRF-M?

Índice de Renda Fixa do Mercado ou também chamado de IRF-M. Esse indicador mede o desempenho dos títulos do mercado de renda fixa por meio de taxas prefixadas.

O IRF-M foi criado no ano de 2000 e juntamente com outros três subíndices, eles formam o IMA. O Índice de Mercado ANBIMA (Associação Nacional das Instituições do Mercado Aberto) representa a dívida pública por meio dos valores de uma carteira de títulos públicos federais.

O mercado brasileiro de renda fixa tem como base a aplicação em títulos públicos. Ficando atrás apenas dos investimentos na caderneta de poupança, mesmo já tão defasada.

Composição do IRF-M

A composição do IRF-M é feita com base em dois títulos públicos federais que servem de base para o mercado de renda fixa, que são:

  • Notas do Tesouro Nacional Série F (NTN-F)
  • Letras do Tesouro Nacional (LTNs)

Assim, o IRF-M indica o desempenho das aplicações pré-fixadas. Entretanto, o rendimento posterior destes títulos é definido com base na expectativa futura da taxa de juros.

Além disso, o IRF-M é composto por dois subíndices, que são:

  • IRF-M 1: são os títulos com prazo para o vencimento inferior a 1 ano
  • IRF-M 1+: são os títulos com prazo para o vencimento igual ou superior a 1 ano

Ou seja, esses indicadores demonstram o prazo de vencimento dos títulos. Assim, a soma desses dois indicadores resultará no IRF-M e, assim, no desempenho dos títulos de renda fixa.

A elaboração e divulgação do Índice de Renda Fixa do Mercado é feita diariamente pela ANBIMA – Associação Nacional das Instituições do Mercado Aberto. São considerados todos os títulos elegíveis, representando a evolução do mercado como um todo.

IRF-M

Vigência do Índice de Renda Fixa do Mercado

O IRF-M, bem como os demais índices que compõem o IMA, são revistos mensalmente. Isso ocorre pelo fato de que os estoques de títulos públicos federais no mercado podem variar.

O seu período de vigência vai do segundo dia útil do mês, até o primeiro dia útil do mês posterior. E são utilizadas as quantidades disponíveis no mercado, sempre três dias úteis anteriores à data de rebalanceamento.

Cálculo do IRF-M

Para o cálculo do IRF-M, consideram-se os preços pelas quantidades no período-base. Dessa forma, se houverem variações na composição da carteira, não haverá impacto na rentabilidade do índice.

A Secretaria do Tesouro Nacional é a responsável por fazer o levantamento diário das quantidades dos títulos em mercado. Além disso, a ANBIMA também pode utilizar dados das ofertas públicas, bem como dos resgates de títulos.

Os preços dos títulos são coletados diariamente pela ANBIMA, com base em uma determinada amostra. São eles: bancos, administradoras de recursos e intermediários financeiros do mercado de títulos públicos.

Assim, os preços coletados são os valores reais negociados no mercado. Então, o cálculo do IRFM é realizado com base em critérios estatísticos, estabelecidos pela ANBIMA, STN, Banco Central CETIP e BM&FBovespa.

Para quem busca investir em títulos de renda fixa, torna-se imprescindível conhecer e acompanhar o IRF-M. Entender mais sobre esse índice e sua composição, darão base mais segura para seus investimentos.




Leave a Reply