Comprar um veículo é investimento? Vale a pena ter um?

Comprar um veículo é investimento? Problemas como engarrafamento além dos custos de um veículo levam brasileiros a questionar a necessidade de um veículo próprio. Afinal, vale mesmo a pena ter um carro?

Ao colocar os custos na ponta do lápis, diversas famílias avaliam se é realmente necessário ter um veículo. Isso se deve a crescente popularização de aplicativos de transporte alternativos, tais como o Uber.

Entretanto, economistas alertam para que ao realizar a escolha do meio de transporte coloque como principal variável os percursos do dia-a-dia.

Depois, deve-se também considerar os custos que são inevitáveis quando se tem um veículo. Logo, devemos incluir na lista manutenção, IPVA, combustível e outros itens eventuais que podem afetar seu orçamento, como um acidente.

Afinal, comprar um veículo é investimento?

Comprar um veículo é investimento

A melhor resposta para essa pergunta é: depende. Isto porque vai depender se você utiliza do carro como ferramenta de trabalho ou apenas para se locomover.

Logo, caso seja um motorista ou dependa do seu carro para subsistência, seu carro é um ativo. Ou seja, sem ele você não garante seu rendimento, ao contrário do passivo, que requer custos externos para manutenção.

O primeiro problema quando se pensa em obter um veículo é que ele só lhe custará combustível. Entretanto, se você já o possui, deve saber que o bem lhe custa ao mês 2% do valor do veículo.

Depreciação do carro

Posto que além de ter de abastecê-lo para se locomover, existe ainda impostos, seguro, fora as eventualidades como um possível acidente.  Também existe a depreciação anual de 10% do valor do automóvel.

Para se ter ideia de quanto aproximadamente é esse custo, vamos considerar um caro popular que custa em média R$ 35 mil. Logo temos que, ao final de um ano, acumula-se uma despesa de nada menos que R$ 8.400.

Se você ainda não possui um carro, e pretende adquirir um em breve, economistas aconselham repensar. Por exemplo, vamos considerar um carro também de R$ 35 mil.

Logo, sabemos que dificilmente quem compra um carro popular o adquire à vista. Assim, a média de fluxo de parcelamento é de 48 parcelas, ou seja, 4 anos para depois quitar seu veículo, fora os juros.

Mas digamos que você o comprou à vista, e que após 4 anos decida vendê-lo, para adquirir um novo veículo. Considerando que a cada ano desvaloriza 10%, só aí já se perdeu pouco mais de R$ 12 mil. Escrevemos um artigo sobre como calcular os custos de um carro.

Quando comprar um carro é um investimento

Porém, se nesses 4 anos seu carro lhe render esses R$ 12 mil, então sim, comprar um veiculo é investimento, mas são poucos os casos. Desse modo, suponha que invista os R$ 35 mil de modo correto, desconsiderando ser um motorista.

Caso realize bons investimentos, poderá lhe render cerca de 14% ao ano. Isso representa um rendimento mensal de aproximadamente R$ 410 ao mês. Entendeu a diferença? Mas então, o que fazer ao invés de comprar um carro?

Busque opções de aplicativos

Por ser mais popularizado, o Uber tem sido alvo de reclamações pelos consumidores, pois notaram elevação no custo das viagens. Apesar de o aplicativo ser o mais renomado, ele não é o único.

Nos últimos anos a Uber ganhou uma infinidade de concorrentes. Basta baixar outras opções e consultar o valor da viagem antes de solicitar o motorista. Para lhe ajudar, listamos abaixo alguns aplicativos de transporte alternativo:

  • 99
  • 99 Pop
  • BlaClaCar
  • EcoDrivers
  • Cabify
  • Easy

Isso são apenas os concorrentes mais populares da Uber. Por exemplo, se você reside em grandes cidades como São Paulo ou Rio de Janeiro, o leque de opções é ainda maior.

Posto que são nessas cidades que o trânsito é mais caótico, e a cada dia surgem novas startups no segmento. Assim, não tenha preguiça de baixar e pesquisar, quem vasculha acaba pagando mais barato e economizando.

Otimize o uso do seu tempo

Fora a possibilidade de economia, ao optar por aplicativos de transporte alternativo pode lhe trazer alguns outros benefícios. Por exemplo, digamos que o seu trajeto diário seja extenso.

Em cidades em que o trânsito possui grandes chances de engarrafar, pode ser que fique um bom tempo no trânsito. Entretanto, se estiver viajando como passageiro poderá responder seus e-mails, sem se preocupar com atrasos.

Também evitará ficar procurando por vagas ou ainda parar em postos para abastecer seu veículo. Mas lembre-se de sempre otimizar seu tempo, pois em horários de pico, o motorista pode atrasar, então cancele e vá pra outro app.

Quais os reais custos de um veículo?

Ainda que optar por transportes coletivos ou aplicativos de transporte alternativo possa ser atrativo, tudo deve ser calculado. Para se ter uma ideia real de custos, recomenda-se deixar o carro na garagem por 1 mês corrido.

Depois de realizar a experiência, coloque tudo na ponta do lápis, considerando os custos abaixo. Para lhe ajudar, fizemos uma lista dos itens que você deve considerar ao procurar por comprar um veículo:

  • Os 2% do valor de compra do veículo ao mês
  • Multas e eventuais acidentes
  • Produtividade
  • Seguro
  • Custos com estacionamentos privados
  • Trajeto
  • Metrô, ônibus ou bicicleta (se possuir ciclovia em sua cidade)

Ainda que economizar seja importante, nada como ter comodidade em sua rotina, e ter um carro próprio é sinônimo de privacidade. Logo, avalie todas as variáveis antes de se desfazer ou comprar um veículo.



Leave a Reply